Buscar

Cremesp aponta aos residentes que conduta ética é primordial para boa prática médica


Exercer a Medicina com ética é a base fundamental para a boa prática médica. Esta foi a mensagem do diretor 1º secretário do Cremesp, Angelo Vattimo, na recepção aos novos médicos residentes do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP), no dia 2 março, no Centro de Convenções Rebouças. “Os residentes passam de estudantes a médicos, assumindo as responsabilidades da profissão, na qual a conduta ética é primordial para o bom exercício da Medicina”, ressaltou Vattimo. Ele também falou sobre a oportunidade de aprendizado oferecida pelo programa de Residência Médica. “O grande legado que vocês levarão da faculdade é o conhecimento, a ser aplicado em beneficio da sociedade”, afirmou.


Dirigentes e representantes de entidades médicas participaram da recepção da Residência Médica de 2020, na qual foram matriculados 715 residentes, distribuídos em 54 programas. O diretor da FMUSP, Tarcísio Eloy Pessoa de Barros Filho, discorreu sobre a oportunidade e a responsabilidade de usufruir e aprender, dentro de um programa de excelência, financiado com dinheiro público, portanto, pago pela sociedade. “Dar um atendimento justo e humanístico à população mais carente é fazer bom uso do dinheiro aqui empregado, sendo também uma maneira de retribuir o que nos foi oferecido pela sociedade”, completou.


A tradicional recepção aos residentes foi conduzida pela coordenadora geral da Comissão de Residência Médica (Coreme) da FMUSP, Vera Kalika Koch, e contou com a participação do superintendente e da diretora clínica do HC-FMUSP, respectivamente, Antonio José Rodrigues Pereira e Eloisa de Oliveira Bonfá; da presidente da Associação dos Médicos Residentes da USP (Amerusp), Maria Renata Mencacci Costa; e do coordenador do Grupo de Assistência Psicológica ao Aluno (Grapal) da FMUSP, Eduardo de Castro Humes; entre outros.


Acolhimento ao residente Antes da cerimônia de recepção, Vera Kalika e o coordenador do Serviço de Acolhimento Integrado do Núcleo de Apoio ao Estudante da FMUSP, Arthur Danila, se apresentaram aos novos residentes para falar sobre o trabalho desenvolvido no Complexo, de suporte à saúde física e mental dos residentes. Por ser um período de transição e inserção na carreira, os residentes, eventualmente, podem estar vulneráveis e expostos ao assédio moral, depressão, síndrome de burnout e suicídio, entre outros.  Esses temas também têm sido alvo de preocupação e de ações do Cremesp.


Conselho disponibiliza publicação O Cremesp inclusive publicou o livro Assédio moral na formação médica: conscientizar para combater, em 2019, destinado a médicos residentes, acadêmicos e demais interessados. Um estudo publicado no Journal of the American Medical Association (JAMA), em 2015, demonstrou que 28,8% dos médicos residentes no mundo possuem prevalência de depressão; 76% deles apresentaram sintomas de burnout, principalmente alta exaustão emocional e despersonalização; e 43%, privação de sono, além de piora da função cognitiva após plantões. Os médicos completam mais o suicídio que a população em geral. O risco relativo de suicídio entre homens médicos em comparação com a população em geral é de 1,41; já entre as médicas, atinge 2,27.


Foto: Osmar Bustos


#Cremesp #Barsati #Residente #Ética

©2018 Barsanti, Vazquez Advogados. Criado por Tess Tecnologia